A rebelião do eles: léxico, morfologia e sintaxe do fascismo bolsonarista

“Em todos os seus giros principais, o bolsonarismo extraía do lulismo seus marcos retóricos, preenchia-os com o conteúdo de extrema-direita e reinstalava-os no interior de um sistema discursivo baseado no puro fomento de antagonismo em tempo integral.” Para Idelber Avelar, “os manifestantes que abraçaram Bolsonaro em 13/03/2016 já buscavam um antipetista não tucano e não pedemebebista a quem abraçar desde 15/03/2015”. Um ensaio que busca analisar e compreender os antagonismos represados na sociedade brasileira.

Read more