Especial Cinema e Fascismo: Salò, fascismo e o pecado de Pasolini

O Estado da Arte apresenta o Especial Cinema e Fascismo, com ensaios que analisam como seis cineastas abordaram o fascismo — seja como fenômeno histórico, como espírito do seu tempo, ou ainda como registro de sua identificação e influência. Hoje, Salò, ou os 120 dias de Sodoma (1975), de Pier Paolo Pasolini, por Anderson Vichinkeski Teixeira.

Read more