Casa do Saber: Fernando Pessoa e a filosofia na literatura

O poeta Fernando Pessoa, por Almada Negreiros

A obra de Fernando Pessoa é quase um chamado à análise filosófica. Seus procedimentos poéticos, com a criação genial e única dos heterônimos, já condensam todo um universo filosófico a ser desvelado. O próprio Fernando Pessoa disse, sobre si mesmo, ser “um poeta impulsionado pela filosofia, não um filósofo dotado de faculdades poéticas”. O curso faz uma investigação de Fernando Pessoa e seus heterônimos sob as chaves das grandes questões do pensamento filosófico – os movimentos em direção ao autoconhecimento, as formas de relação entre o Eu e o mundo, os dilemas entre subjetividade e pertencimento e, sobretudo, a busca por uma existência plena.

Mais informações em: https://casadosaber.com.br/sp/cursos/ferias/fernando-pessoa.html

Encontros:

16/07 – Fernando Pessoa, múltiplo de si mesmo

23/07 – “Há Metafísica bastante em não pensar em nada”: poesia, heterônimos e filosofia em Pessoa

com Eduardo Wolf

Doutor em Filosofia pela USP, tendo sido pesquisador visitante na Universidade Ca’Foscari (Veneza, Itália), Eduardo Wolf é colaborador da revista Veja e editor da plataforma multimídia “O Estado da Arte” no jornal O Estado de S. Paulo. Editou, entre outros, os volumes Pensar a Filosofia e Pensar o Contemporâneo, lançados pela Arquipélago Editorial. Traduziu os ensaios de T. S. Eliot (Notas para uma Definição de Cultura e A Ideia de uma Sociedade Cristã e Outros Ensaios – É Realizações) e diversos títulos de filosofia (A Filosofia Antes de Sócrates, de Richard Mckirahan, A invenção da Filosofia, de Néstor-Cordero, entre outros). É professor e pesquisador do Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da Fundação São Paulo (PUC-SP) e pesquisador do Grupo de Estudos Filosofia Antiga da USP. Foi Secretário-Adjunto de Cultura de Porto Alegre (2017) e curador-assistente do Fronteiras do Pensamento (2016 – 2018).